Segunda-feira, 12 de Setembro de 2011

Marés do teu coração"

 

     "Marés do teu coração"

 

 

És a maré fértil da minha vida

como o espelhado do meu barquinho

em águas tépidas e calmas,

és a minha maré escolhida

nela navego suave de mansinho

na junção das nossas almas.

 

Repara neste instante!..

três palavras soltas ao vento

amizade, afecto e compreensão,

és como estrela cintilante

que brilha no firmamento

é dá asas ao coração.

 

És bela, doce e formosa!..

três predicados da tua sina

e o encanto do teu olhar,

és estrela que brilha virtuosa

no teu jeito de menina

que espelha no meu mar.

 

Tanta doçura e beleza!..

e tantos sonhos para sonhar

musa das minhas inspirações,

és uma estrela concerteza

que brilhas com o luar

no encanto das minhas ilusões.

 

Darte-ia se eu pudesse!..

a terra, o ar e o mar

o sonho desta minha paixão,

era tão bom se eu tivesse

a feliz sorte de navegar

nas marés do teu coração.

 

    ArtCar

 

(Poema de minha autoria que dedico a todos os sonhadores do amor)

 

 

 

publicado por Artur Cardoso às 21:38
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Agostinho Azevedo a 13 de Setembro de 2011 às 10:19
O sonho torna-se realidade sempre que o homem quer. Todas as marés são boas para se partilhar o que sentimos, principalmente com aqueles que nos são mais queridos. Um abraço Agostinho Azevedo.
De Artur Cardoso a 13 de Setembro de 2011 às 13:43
Ó!.. meu amigo sr, Agostinho,
Todas as marés são boas... deixe-me sublinhar as suas sinceras palavras: "principalmente com aqueles que nos são mais queridos", sem sombra de dúvidas.
O meu muito Bem Haja,
Artur

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nesta Noite de Luar!

. Um corre-corre!

. Como os poetas que cantam...

. Misterioso Tocante!

. Recordando... Inocentes s...

. Do meu jardim!

. Gosto do teu sorriso!

. Algo me dizia!

. Cada vez que olho a lua!

. A Poesia e a Alma do Poet...

.arquivos

. Agosto 2019

. Março 2019

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Agosto 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub