Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011

"Sagrada fonte"

 

Esta é uma típica fonte alentejana da linda vila de Monsaraz.

Todas as fontes naturais são sagradas porque nos oferecem a essência da vida, a (água).

 

 

 

        "Sagrada fonte"

 

 

Bebo água sagrada da fonte

água cristalina e pura

que mata a sede aos caminheiros,

vem lá do cimo do monte

traz consigo a frescura

com leves aromas passageiros.

 

É tão sagrada como tu

fresca como a brisa da manhã

noite e dia sempre a correr,

põe suas virtudes a nu

deixa teus lábios da cor de romã

e frescos depois de a beber.

 

És água de fonte sagrada

de ti também me quero refrescar

és a essência da nossa vida,

ficas à beira da estrada

peço à minha amada para me dar

um copo da tua sagrada bebida.

 

Sacias os nossos desejos

dás vida aos nossos corações

envolves-nos numa aura doirada,

és a causa dos nossos ensejos

trocamos nossas confissões

és cristalina água sagrada.

 

    ArtCar

 

(Poema de minha autoria dedicado a todas as fontes que matam a sede a quem delas bebe da sua água).

 

publicado por Artur Cardoso às 15:27
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Agostinho Azevedo a 20 de Setembro de 2011 às 09:32
Bom dia Sr. Artur.
A água é um bem essencial para a vida. Sem ela nada sobrevive , é preciso que todos a saibamos preservar.
Um abraço Agostinho Azevedo.
De Artur Cardoso a 20 de Setembro de 2011 às 13:30
Nos tempos difíceis que atravessamos, sem dúvida alguma que o desperdício da preciosa água de hoje poderá vir a ser a falta no futuro, por isso deveremos preservá-la.
Obrigado pelas suas belas palavras.
Um abraço do amigo,
Artur

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nesta Noite de Luar!

. Um corre-corre!

. Como os poetas que cantam...

. Misterioso Tocante!

. Recordando... Inocentes s...

. Do meu jardim!

. Gosto do teu sorriso!

. Algo me dizia!

. Cada vez que olho a lua!

. A Poesia e a Alma do Poet...

.arquivos

. Agosto 2019

. Março 2019

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Agosto 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub