Sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

"O Silêncio dum coração"

 

 

 

   "O Silêncio dum coração"

 

 

 

O silêncio despedaça um coração

preenchido com tanto amor

e tem tanto para dar,

arrebatado pela solidão

sofre constante de dor

por não ter quem o amar.

 

 

Ó! coração aonde tu estás?

vem para junto de mim

não me deixes só,

sinto-me só porque me dás

tanto desprezo assim

vem! e de mim tem dó.

 

 

Não ouço o bater do teu coração

não o sinto junto ao meu

num silêncio sepulcral,

tem um pouco de compaixão

deste coração que tudo te deu

e chora silencioso afinal.

 

 

Trás contigo a alegria de viver

o raiar de uma nova aurora

ao silêncio deste coração,

vem!.. vem comigo ter

corre!.. corre e vem sem demora

consola a minha paixão.

 

 

   ArtCar

 

(Poema de minha autoria escrito com muito carinho para todos os corações que sabem dar amor).

 

publicado por Artur Cardoso às 22:12
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Agostinho Azevedo a 29 de Outubro de 2011 às 11:25
Olá Sr. Artur bom dia.
Felizes de todos aqueles que ainda sabem dar amor, mas felizes também daqueles que o recebem e reconhecem. Hoje no mundo em que vivemos de cada vez mais este dar e receber do « amor » é muito importante.
Um abraço Agostinho Azevedo.
De Artur Cardoso a 29 de Outubro de 2011 às 13:09
Meu amigo sr Agostinho,
Dar e receber "amor" entre a humanidade, é uma extraordinária dádiva de Deus.
Só um coração à altura das suas belas palavras sabe interpretar o que é amor entre os Homens.
A palavra "amor", infelizmente é deturpada por quem não tem sentimentos nobres e verdadeiros.
Um abraço de amizade,
Artur

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Nesta Noite de Luar!

. Um corre-corre!

. Como os poetas que cantam...

. Misterioso Tocante!

. Recordando... Inocentes s...

. Do meu jardim!

. Gosto do teu sorriso!

. Algo me dizia!

. Cada vez que olho a lua!

. A Poesia e a Alma do Poet...

.arquivos

. Agosto 2019

. Março 2019

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Agosto 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub